PROJETO ARTE AGORA

O Projeto Arte Agora pretende retomar o caminho da democratização da Arte disponibilizando obras de artistas que usam a Gravura, a Serigrafia, a Litografia, a Xilogravura (etc...), como expressão de uma vontade de chegar mais perto de todos os apreciadores de Arte, independentemente da sua condição social ou financeira.

Tornar a Arte acessível é a linha mestra do Projeto Arte Agora.

Serigrafia "Passarouco". Autor: Cardoso

A Gravura em Portugal

“A cooperativa Gravura, por onde passaram dezenas de artistas, ao longo de mais de meio século, foi uma das principais divulgadoras da arte moderna em Portugal, responsável pela expansão do colecionismo no país.

Numa garagem improvisada em Algés, em 1956, teve início a história desta cooperativa, criada para a prática da gravura por artistas e intelectuais, motivados pelo espírito da partilha artística, experimentação e debate político.

O proprietário da garagem era Manuel Antunes Torres, um dos sócios-fundadores da Gravura - Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses (SCGP), a par de artistas como Júlio Pomar, João Hogan, Alice Jorge, José Júlio dos Santos, Cipriano Dourado e Rogério Ribeiro.

David Santos, atual diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, e antigo diretor do Museu do Neo-realismo, disse que "O trabalho feito na Gravura foi pioneiro e permitiu divulgar a arte moderna no país. Tornou as peças mais acessíveis, possibilitando que a arte chegasse aos lares de muitos portugueses".

Na lista de artistas da Gravura contam-se nomes como os de Emília Nadal, Sá Nogueira, Vera Castro, Jorge Martins, Maria Gabriel, José de Guimarães, Júlio dos Reis Pereira, Querubim Lapa, Gil Teixeira Lopes, Malangatana, João Abel Manta, Leonel Moura, Carlos Calvet, Gracinda Candeias, Fernando Calhau, Jorge Barradas, Manuel Cargaleiro, António Charrua, António Sena, Hein Semke, Paula Rego, Menez, Carlos Botelho, Maria Keil, Almada Negreiros, Eduardo Nery, Nikias Skapinakis, Júlio Resende e Julião Sarmento, entre outros.

David Santos sublinha que a Gravura foi "um motor do desenvolvimento da arte em Portugal, um reflexo dos anseios de sucessivas gerações de artistas", e "uma das experiências mais fecundas e determinantes de associação artística, na cultura visual portuguesa".

Na Gravura, artistas pioneiros começaram a ensinar técnicas de uma modalidade que ainda nem existia nas escolas de Belas-Artes de Lisboa e do Porto.”

Lusa - 23 Jan, 2015

Como se depreende do texto acima reproduzido (resumo), a importância primeiro das gravuras e mais tarde das serigrafias no contexto da arte portuguesa, é incontornável. Daí a pertinência deste projeto. Todos os autores presentes, muitos deles referidos neste texto da agência Lusa, tiveram e têm um protagonismo na história das reproduções de autor de tiragem limitada em Portugal - e consequentemente na divulgação e democratização da arte portuguesa - que não pode, de forma alguma ser ignorado.

 

NOTA: TODAS AS OBRAS DE ARTE PRESENTES SÃO BENS EM SEGUNDA MÃO. TODAS AS OBRAS DE ARTE PRESENTES FORAM DISPONIBILIZADOS NO PROJETO ARTE AGORA PELOS SEUS PROPRIETÁRIOS.

CONTACTOS